Recebi um e-mail cheio de questões difíceis e vou tentar responder aqui. Pra minha surpresa, quem me escreveu foi uma adolescente de 14 anos que está vivendo alguns conflitos internos e pediu ajuda.

Como combinamos, os e-mails enviados com o título “Bate-Papo” serão respondidos aqui no blog, pra que outras leitoras que estejam vivenciando algo parecido possam encontrar ajuda também.

Trechos do e-mail da leitora:

Visitei seu blog "Agora sim, casada" e, estranhamente, simpatizei muito com você. Li sobre o seu casamento e que você se guardou para a noite de núpcias. E, acredite, isso me afetou de uma forma que nem eu entendo. Estou tendo um conflito interno muito intenso.

Após ler os primeiros capítulos de Mateus, fiquei apenas com mais duvidas. Então resolvi: isso é a mais pura besteira. É apenas um livro. Mas, é como se meu coração sentisse que eu estou no caminho certo. Que depois de tantos anos, alguma coisa realmente fez sentido pra mim. É como se eu pudesse sentir a forma incondicional do amor de Jesus por mim. O vejo a minha frente de braços abertos querendo me ajudar e eu recusando. Confuso. Muito confuso.

Sei que se começasse a me manifestar em casa sobre religião meus pais seriam os primeiros a falarem "de onde você tirou uma besteira dessas?”.

Tenho colegas de classe que já não são mais puras e a influencia delas é realmente perturbadora. A visão que passam é que se uma mulher não começar sua vida sexualmente ativa desde cedo, não será "completa". Como se sexo fosse a resposta para todos os problemas... E também a preocupação com: "se eu me guardar para o meu casamento, vou mesmo encontrar um homem que me ame e que seja virgem também?".

Não me entenda mal, mas eu acredito que o sexo é uma parte importante do casamento. Apenas tenho dúvidas se as pessoas que se casam virgens, principalmente as mulheres, tem uma vida sexual após o casamento satisfatório e não apenas passem o tempo todo em casa sem fazer nada cozinhando para agradar o marido.

Pode me ajudar?

(Enviado por A.E.)

Resposta – Agora sim, casada:

A.E., mesmo você sendo bem novinha e esteja cheia de conflitos (o que é bem normal na sua idade), vejo certa maturidade nas suas palavras. Não vai ser fácil responder a todas as suas questões, mas vou tentar, certo? Vamos por partes...

A primeira coisa que preciso te dizer é que, de fato, Deus se relaciona com as pessoas. Mesmo duvidando da existência dEle, você sente o seu amor e encontra sentindo neste caminho. Não é curioso? A Bíblia afirma que Deus se revela através da própria criação. Só de olhar a natureza, a gente sente que existe alguém acima de tudo isso, um criador. Olha só o que diz em Romanos 1.20 (vou usar uma bíblia com linguagem de hoje pra facilitar): “Desde que Deus criou o mundo, as suas qualidades invisíveis, isto é, o seu poder eterno e a sua natureza divina têm sido vistas claramente. Os seres humanos podem ver tudo isso nas coisas que Deus tem feito e, portanto, eles não têm desculpa nenhuma”.

Outra coisa que você se questionou foi sobre a Bíblia, se ela é realmente a palavra de Deus ou apenas um livro. Bom, eu não tenho como te mostrar as digitais de Deus em suas páginas, não existe evidências científicas que comprovem isso, porque na verdade não foi Ele quem a escreveu. A Bíblia foi escrita por homens, mas eles foram inspirados por Deus.

“Toda Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver.” (II Timóteo 3.16)

Mas como saber se isso é verdade? Abra o coração e leia. Esta palavra é viva, é diferente, é eterna. Quem a inspirou certamente irá tocar o seu coração.

Sobre os seus pais, não se sinta pressionada. Acredito que mesmo achando tudo isso uma bobagem, eles não te impediriam de manifestar uma fé. Respeite-os e tome sua decisão sem se importar com que as pessoas irão pensar. Se acaso eles não permitirem que você se envolva com algum grupo religioso, obedeça, mas dentro do seu coração, não abra mão de um relacionamento pessoal com Deus. =)

(Tá ficando grande a resposta, hein?!)

Por fim, vamos falar sobre sexo. Sim, eu casei virgem. Tomei essa decisão por acreditar que o sexo é algo exclusivo para o casamento. Não foi fácil me manter assim por quase 4 anos (namoro e noivado), mas foi possível e não me arrependo disso. O meu marido não era mais virgem, mas depois que começamos a namorar, também esperou até o casamento.

Sabe, A.E., eu não me importo com o que as pessoas pensam. Nunca me senti pressionada por ainda ser virgem quando a maioria das meninas transava com os namorados. Eu tinha duas opções: agradar a Deus ou às pessoas. Então decidi obedecer ao autor da minha vida e pronto!

Concordo demais contigo quando você disse que o sexo é parte importante do casamento. E deixa eu te falar... Deus também concorda! Tanto que a Bíblia diz que o corpo da mulher pertence ao marido, e o corpo do marido pertence à sua mulher. Além disso, orienta que um não prive o outro de sexo (ou seja, nada de deixar o cônjuge passar vontade).

Pra finalizar, hoje em dia, mulher que fica em casa só cozinhando para o marido, faz isso porque gosta. Não é regra e não tem porque se preocupar com isso, tá? Relaxa. Casamento é bom demais e tem sexo sim! =)

Beijos!

-------------------------------------------------------------------------

E vocês, meninas? O que acham de tudo isso? Comentem!

0 comentários:

Postar um comentário

O que você acha? Comente.

Zarpo Viagens

Festival da Noiva

Web Buffet

Siga por e-mail

Blogirls

Arquivo do blog